terça-feira, 11 de novembro de 2014

Rota pr'onde der

Segue em
suspenso o
sopro de
vida
que eu tinha.

Sentespera. Sentido: só.
Sentido - duas quadras à frente,
pára quando achar que deu,
olha em volta e avalia.
Valia a pena?
Volta. Não dá, vai.

Espera.
O quê?
Aquilo.
Aquele.
Parar não dá também.

Acuada na mata
dessa gente toda
na levada do trânsito
d'atentada rota
a sorrir
espancar-se
a gemer por
auxílio, meu deus...
Auxílio...

Insuportável suplente!
Lá está. A postos.
Substitui subsistindo dessa nóia.
Gestada e nutrida
segundo uma dieta
de fuga e efêmero:
sobrevive...sobrevive...sobrevive...

Segue em
suspenso o
sopro de
vida
que eu tinha.

Não dor,
publiquem a errata:
não dor,
ausência é que mata.

Nenhum comentário: