domingo, 17 de junho de 2012

O saber se engana e diz que não

Não sei se ele é assim
ou se o crio dessa forma.
Não sei se o olho certo
ou de alguma maneira torta.

O torto e errado é minha praia,
mas não sei se pra esse tem volta,
e toda essa estrutura falha
me secará e deixará feito morta.

Não sei se escolhi e fiz
ou fiz e escolhi
um caminho que, nem me quer,
nem me solta.

Aquela consciência alheia
de quem reza a prece
e depois vira as costas.

Não sei se bato o pé e fico
ando a pé e evito
deixar a ferida à mostra.

Mas sei que no fundo o que sinto
vai fundo mas minto
não saber a resposta...

Um comentário:

Bruno Batiston disse...

Eu gostei tanto, tanto de ler isso! Me ganhou já no título, vim e ler e me agradou a estética, o significado, e tudo isto me emocionou de verdade, soou como música.