quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Vácuo

Porque fujo?
Porque nego
que aquilo que entrego
seja tudo que possuo...
Quando canto neste duo,
quanto caso desvirtuo,
pseudo amante;
num reticente receio mútuo...
Não mais me prostituo
-a troca de favores-
mas não articulo
o árduo trabalho de construir amores.
Levo a planta,
o projeto,
adorando o que arquiteto
com versos, cartas e dores.

2 comentários:

Bruno Batiston disse...

num reticente receio mútuo...

Esse teu vácuo me encheu de coisa pra dizer, só falta a força, mas vá lá, com fé, né?

Gustavo Paes disse...

fiquei no vácuo...

não tenho palavras.