quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Questão de orgulho

Poeta não morre de fome.





Morre de penúria.

Nenhum comentário: