sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Acordou naquela manhã de sempre, naquele cheiro de cigarro que não mais a agradava; e com aquele sol entrando pela janela - esquecida aberta na noite quente, grande falha - o culpado inicial pelo seu despertar prematuro. Tentou, sem sucesso, permanecer mais um tempo na cama, nem que fosse pra fingir que dormia. Nem que fosse pra dizer que dormiu até o meio-dia, e que foi ótimo.



Perda de tempo.

Nenhum comentário: